Conhecimento técnico e científico do universo fitness e bodybuilding.

Em um trabalho feito por Paoli et al (2012) examinaram a eficiência de 2 tipos de treino de força no gasto energético após 22 horas pós-exercício.

SAIBA MAIS
#INTEGRALTV – DESAFIO: PESO LEVE VS. PESO PESADO | QUEM LEVA A MELHOR?
MAIS CARGAS OU MAIS REPETIÇÕES

Dezessete sujeitos treinados realizaram 2 protocolos distintos: Em um protocolo, foram realizadas 32 séries em 8 exercícios (bench press, dorsal machine, military press, bicep curls and triceps extensions, leg press and leg curls e situps), com 4 séries de 8-12 repetições e intervalos de 1 (exercícios uniarticulares) ou 2 minutos (exercícios multiarticulares) entre cada série. Já no outro protocolo, chamado de HIRT (High-Intensity Interval Resistance Training) foram realizadas apenas 7 séries, sendo 2 séries de bench press, 2 de dorsal machine, e 3 de leg press, feitos da seguinte maneira: os voluntários realizaram 6 repetições máximas, descansavam 20” e realizavam mais repetições até a falha, depois descansavam mais 20” e tentariam realizar mais repetições. Essa sessão de treino mais intensa durou aproximadamente 30 minutos.

Mesmo com um volume menor de treino, o grupo HIRT (que fez menos séries e com menor tempo treinando) teve um maior gasto energético em repouso, o que pode acelerar o processo de emagrecimento em longo prazo. Isso é interessante também se considerarmos, além do emagrecimento, a manutenção da massa magra (treinos mais intensos podem favorecer esse processo). Aliás, esse estudo demonstra uma coisa que vejo acontecer desde o início da minha carreira: Não existe treino para hipertrofia ou emagrecimento, e sim treino e dieta!!

REFERÊNCIAS:
Paoli et al.: High-Intensity Interval Resistance Training (HIRT) influences resting energy expenditure and respiratory ratio in non-dieting individuals. Journal of Translational Medicine 2012 10:237.