Conhecimento técnico e científico do universo fitness e bodybuilding.

Como será que se conquista a tão sonhada definição muscular? Você se arrisca a responder? Se você pensou que é perdendo peso ou aumentando o número de séries com baixa carga, você errou.

A tão desejada definição muscular depende de uma rotina alimentar equilibrada, musculação e acompanhamento profissional (multidisciplinar), resultando na união estável do baixo percentual de gordura e ganho de massa magra, simultaneamente.

Antes de tudo, vamos esclarecer algumas coisas:

Balança não é parâmetro quando o objetivo é perder gordura e ganhar massa muscular. Perder peso significa reduzir a massa global do seu corpo, isso inclui musculatura.
2°: Músculo NÃO é mais pesado que gordura. O quilograma é a unidade básica do Sistema Internacional de Unidades. Portanto, 1 kg de músculo é igual 1kg de gordura aqui e na China. A diferença é que, enquanto um é mais denso, o outro é espalhafato.
3°: Músculo NÃO sabe contar séries. Não tem regra geral, mas, sim, técnica e camisa suada.

Já se sabe que a alimentação é o diferencial no resultado de qualquer objetivo, tanto para emagrecer, quanto para estimular o desenvolvimento dos tecidos musculares. E, normalmente, o ‘cardápio’ para enxugar é hipocalórico, visando a perda de tecido adiposo para que os músculos sobressaiam. E não estamos falando de lowfat, lowcarb, jejum, dieta paleo ou simpatias.

LEIA MAIS:
AS PRINCIPAIS ADAPTAÇÕES DE TREINAMENTO PARA MAXIMIZAR O EMAGRECIMENTO
22 DICAS E SEGREDOS PARA DEFINIÇÃO MUSCULAR

A alimentação de quem quer definir é completa, calculada de maneira individual, de acordo com as necessidades de cada organismo. Por isso, seria um erro não consultar um nutricionista e um nutrólogo. Com esses dois profissionais não faltarão nutrientes, quantidades precisas de carboidrato e satisfatórias de proteína.

A musculação é também uma das partes importantes no processo. Diferentemente do treino de hipertrofia, para definir trabalha-se com diversos grupos musculares, normalmente em circuito e com descanso ativo (quando preenchemos o intervalo de um exercício com outro). O foco não é a força, mas, sim, a resistência. Já o número de exercícios e séries vai depender do método escolhido. E, sim, você vai precisar de um educador físico. Os treinos de academia são iguais para todo mundo. Uma hora seu corpo vai se acostumar com a rotina e vai parar de evoluir e somente o personal poderá montar um treino completo e direcionado.

E é aí que chegamos ao último e não menos importante pilar que sustenta a definição: acompanhamento médico e multidisciplinar. Profissionais de áreas distintas trabalham em prol do seu objetivo. Com essa assistência você acompanha sua evolução, mantém sua saúde intacta e o resultado é garantia, porque a técnica é precisa.

Como dizem, não existe almoço de graça. Você não quer pagar um profissional que estudou anos para isso, então paga com a escolha da renúncia, se frustrando e perdendo tempo. Se pudéssemos estabelecer uma relação entre a conquista do corpo definido com algo, poderíamos comparar aos cuidados de uma planta, ela precisa de luz, água e oxigênio, se faltar algum desses itens ela morre, mas se tiver, ela cresce. Seu corpo é a mesma coisa: Se tiver acompanhamento, dieta adequada e exercício físico você simplesmente conquista.