Conhecimento técnico e científico do universo fitness e bodybuilding.

As proteínas do soro de leite, também conhecidas como whey protein, possuem alto valor nutricional graças a seu elevado teor de aminoácidos essenciais, especialmente os de cadeia ramificada. Também apresentam alto teor de cálcio e de peptídeos bioativos do soro. Os principais peptídeos que o compõem são: betalactoglobulina, alfalactoalbumina, albumina do soro bovino, imunoglobulina e glicomacropeptídeo.

Maior peptídeo do soro (45% a 57%), a BLG é resistente à ação de ácidos e enzimas proteolíticas presentes no estômago, portanto, é absorvida no intestino delgado. Apresenta o maior teor de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA), com cerca de 25,1%.

SAIBA MAIS:
WHEY PROTEIN: ANTES, DURANTE OU DEPOIS DO TREINO?
AS PROTEÍNAS PODEM MELHORAR O FUNCIONAMENTO DO INTESTINO?

ALA é o segundo peptídeo do soro de leite bovino (15% a 25%) e o principal do leite humano. Caracteriza-se por ser de fácil e rápida digestão. Possui o maior teor de triptofano (6%) entre todas as fontes proteicas alimentares. É também tico em lisina, leucina, treonina e cistina, além disso, a fração ALA apresenta atividade antimicrobiana contra bactérias patogênicas, como, por exemplo, Escherichia coli, Staphylococcus aureus e Klebsiella pneumoniae.

A fração BSA, as imunoglobulinas e o GMP apresentam ação antioxidante e imunológica, e facilitam a absorção de minerais.

Composição do whey protein concentrado.

Cada 100 g de concentrado proteico de soro de leite possui, em média, 414 kcal, 80 g de proteínas, 7 g de gordura e 8 g de carboidrato.

A composição média de aminoácidos é: 4,9 mg de alanina; 2,4 mg de arginina; 3,8 mg de asparagina; 10,7 mg de ácido aspártico; 1,7 mg de cisteína; 3,4 mg de glutamina; 15,4 mg de ácido glutâmico; 1,7 mg de glicina; 1,7 mg de histidina; 4,7 mg de isoleucina; 11,8 mg de leucina; 9,5 mg de lisina; 3,1 mg de metionina; 3,0 mg de fenilalanina; 4,2 mg de prolina; 3,9 mg de serina; 4,6 mg de treonina; 1,3 mg de triptofano; 3,4 mg de tirosina e 4,7 mg de valina, por cada grama de proteína. Os BCAA perfazem 21,2% desse total, e todos os aminoácidos essenciais constituem 42,7%. Esses valores estão acima da média de outras fontes proteicas comparadas. Quanto aos macronutrientes, possui, em média, 1,2 mg de ferro; 170 mg de sódio e 600 mg de cálcio por 100 g de concentrado proteico.

A dosagem e a composição dos aminoácidos são os fatores responsáveis pela capacidade de determinada proteína de ativar a síntese proteica. As proteínas do soro de leite apresentam uma alta eficiência de estímulo, algumas das várias razões que contribuem para isso:

• O perfil de aminoácidos do soro de leite é praticamente igual ao dos tecidos musculares esqueléticos.
• As proteínas de whey apresentam uma concentração superior a 100 g de aminoácidos essenciais, maior em comparação a outras fontes proteicas.
• A quantidade do aminoácido glutamina presente nas células musculares acaba por controlar a síntese proteica e a acreção das fibras. A síntese de glutamina no músculo, por sua vez, é realizada pelos aminoácidos leucina, isoleucina e valina, presentes em grande quantidade no whey.
• A taxa de cisteína é ótima, contribuindo muito para a preservação da massa muscular. Pesquisas comprovam que a administração de suplementos com alto teor de cisteína eleva a síntese de glutationa, cessa a degradação das proteínas das fibras musculares, aumenta a resistências muscular e melhora corporal nos períodos de treinos físicos.

Velocidade de absorção

O conceito de proteínas com diferentes velocidades de absorção tem sido utilizado por profissionais e cientistas que trabalham com desempenho físico. Estudos demonstram que as proteínas do soro são absorvidas mais rapidamente que outras, como a caseína, por exemplo. Essa rápida absorção faz com que as concentrações plasmáticas de muitos aminoácidos, inclusive a leucina, atinjam altos valores logo após a sua ingestão. Dessa forma, por hipótese, é possível afirmar que para ingestão após uma sessão de exercícios, as proteínas do soro de leite seriam mais eficientes no desencadeamento do processo de síntese proteica.

Outros benefícios

Pressão

A importância das proteínas do soro de leite no controle da hipertensão tem sido foco de inúmeras pesquisas. Elas possuem peptídeos que inibem a ação da enzima conversora de angiotensina (ECA) que tem propriedades hipertensivas. Estudos avaliaram o efeito de um hidrolisado de proteínas do soro e observaram que sua utilização reduziu significativamente a pressão sanguínea, tanto sistólica como diastólica, via inibição da ECA e aumentou a atividade da bradicinina em humanos.

Estresse oxidativo

O estresse oxidativo, produzido ao longo da atividade física, provoca fadiga muscular, levando a uma diminuição do desempenho, nesse caso, o principal agente antioxidante é a glutationa. Estudos mostraram que a suplementação de whey protein, proteína rica em cistina, melhora significativamente os níveis sanguíneos de glutamina, diminuindo o estresse e melhorando bastante a performance de seus usuários.

Perda de peso

Estudos mostram que o alto teor de BCAA das proteínas do soro afeta os processos metabólicos da regulação energética, favorecendo o controle e a redução da gordura corporal. Uma série de estudos mostra que dietas com maior relação proteína/carboidratos são mais eficientes para o controle da glicemia e da insulina pós-prandial, favorecendo a redução da gordura corporal e a preservação da massa muscular durante a perda de peso.

Cálcio

As proteínas do soro são ricas em cálcio (aproximadamente 600 mg/100 g), portanto, podem oferecer uma vantagem sobre o leite como fonte de cálcio para pessoas intolerantes à lactose. Isso porque grande parte dos suplementos de whey é praticamente isenta de lactose (verifique sempre a rotulagem para sanar dúvidas), e também pelo fato de essa proteína apresentar percentual de gordura inferior a 2%.

Suplementação em idosos

Três fatores determinantes influenciam a utilização da proteína dietética pela população idosa: consumo inadequado de proteínas (inapetência e distúrbios gastrointestinais), redução na capacidade de absorção e utilização da proteína disponível (resistência à insulina, resistências anabólicas e alto desvio esplâncnico) e maior necessidade de proteína (comorbidades, doenças inflamatórias, mudanças na oxidação de proteínas). A composição e a praticidade são características que tornam os suplementos de whey protein uma excelente opção nutricional para a terceira idade.

Os benefícios da suplementação são inúmeros, porém, para que sejam obtidos plenamente é necessária uma administração correta das porções ao longo do dia. O acompanhamento de um profissional de saúde é de grande importância para esse gerenciamento.