Como evitar a dor muscular tardia?

Provavelmente um dia após uma sessão de treino intenso ou um pouco mais vigoroso do que o habitual, você já deve ter sentido um incômodo ou até mesmo dor na musculatura trabalhada, fazendo com que você se lembre do treino, estamos falando da dor muscular tardia, leia até o final e saiba tudo sobre.

O que é dor muscular tardia?

Dor muscular de início tardio (DMIT) ou em inglês “Delayed Onset Muscle Soreness” (DOMS), é um processo inflamatório ocasionado por microtraumas na musculatura e não pelo acúmulo de ácido lático, como acreditava-se.

É percebida como um leve incômodo a um grau moderado, podendo se manifestar após as primeiras 12h até 48h pós exercício.

Como acontece a dor muscular tardia?

Esse tipo de dor ocorre após uma sessão de treino mais intensa do que o habitual, geralmente quando aumentamos as cargas e/ou volumes, alterando o estado de equilíbrio do tecido muscular.

Quais são os sintomas da dor muscular tardia?

Normalmente os sintomas são:

  • Dor local (palpação);
  • Edema (inchaço);
  • Diminuição da flexibilidade;
  • Perda parcial do movimento articular;
  • Perda parcial da força muscular do membro.
  • Ainda pode ocorrer alterações dos níveis séricos, aumentando as enzimas:
  • Creatina quinase (CK);
  • Desidrogenase lática (LDH).

Como prevenir a dor muscular tardia?

A melhor maneira é respeitar seus limites, evitar aumentar cargas sem orientação, respeitar o descanso necessário para recuperação da musculatura, se alimentar corretamente pré e pós treino.

Conclusão

A dor muscular tardia geralmente se manifesta nas primeiras 12h após a sessão de treino e é proveniente de algum excesso seja em carga, volume ou até mesmo treinar sem o devido descanso da musculatura.

Respeitar seus limites, poderá ajudar a não sentir dores tardias, procure sempre um profissional de Educação Física para orientá-lo, ajustando corretamente seu treino.

Bons treinos!

Até a próxima!

Fernando Amaral – CREF 147145 – G/SP

Profissional de Educação Física – Expert Integralmédica

Especialista em fisiologia do exercício e treinamento resistido – Na saúde, na doença e no envelhecimento – EEP/HCFMUSP

Compartilhe esse Post

Rolar para cima