Conhecimento técnico e científico do universo fitness e bodybuilding.

A melhora do rendimento nos treinos e nas competições sempre é algo que buscamos, uma vez que isso pode auxiliar em diversos ganhos. Dentre as estratégias, uma que pode auxiliar este desempenho é a suplementação com taurina. Sendo um aminoácido, a taurina é responsável por auxiliar no influxo de cálcio no tecido cardíaco e no músculo esquelético.

Estudos têm demonstrado que sua ingestão, combinada com a cafeína ou de forma isolada, têm demonstrado um efeito benéfico na melhora de desempenho nos exercícios com a ingestão de 1-6g de taurina, ainda, os estudos parecem demonstrar que esse benefício independe de a suplementação ser aguda ou crônica (7 dias por exemplo).

Uma recente meta-análise demonstrou que em diversos tipos de protocolos de exercícios a suplementação pode surtir efeito, como corrida, ciclismo, sejam exercícios de alta intensidade e mais curtos ou até mesmo exercícios de longa duração, com melhoras na diminuição do tempo dos exercícios, e até mesmo a postergação da fadiga muscular. Ainda, os estudos indicam a suplementação em torno de 1-2 horas antes do exercício físico.

Ao que tudo indica, as recentes pesquisas científicas têm mostrado que um possível efeito da suplementação aguda de taurina sobre o aumento de lipólise, com consequente oxidação do ácido graxo e uma redução da contribuição do metabolismo glicolítico, alterando a utilização de energia e a eficiência metabólica do exercício. Outro efeito que parece ser importante é o papel da taurina no sistema antioxidante na matriz mitocondrial, facilitando o turnover de ATP, nossa moeda de energia.

Assim, a suplementação de taurina parece ser uma estratégia interessante para a melhora do desempenho nos treinos e, consequentemente, um melhor resultado do indivíduo.

Nos vemos na próxima, até mais pessoal!

Referências bibliográficas
Waldron M, Patterson SD, Tallent J, Jeffries O. The Effects of an Oral Taurine Dose and Supplementation Period on Endurance Exercise Performance in Humans: A Meta-Analysis. 2018 May